sexta-feira, 27 de março de 2015

Flores e inventos cá dos pampas...

Olá queridos amigos e amigas. Espero que todos estejam bem. Hoje compartilho umas imagens dos cantinhos que gosto muito aqui de casa. E também mostrar minha paixão por flores artificiais. Gosto de misturar com galho de arbustos do jardim. 








Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz


terça-feira, 17 de março de 2015

Noticias do galpão....


Olá, queridos amigos. Venho mais uma vez mostrar algumas coisinhas construídas em nosso galpão. Falei ao Alfredo que queria tudo terminado até março de 2015. Estamos em março e nada de obra pronta. A guerra está em conseguir mão de obra. Como temos pouco profissionais bons e competentes no mercado. Inflacionou os preços e também é raro conseguir um empreiteiro de confiança. Contratamos um profissional para fazer a cozinha campeira, mas não deu para continuar, tava ficando tudo torto. 





Tivemos que colocar os filhos no serviço. O do carrinho de mão é meu genro, Ade, ele está se formando em engenharia civil, e nós estamos botando ele no serviço.





A turma trabalha, mas tem a recompensa do churrasco. O assador é o Jean meu filho, mas o Ade pelo menos nos serve o churrasco. Para nós, carne boa para churrasco tem que ter osso. Uma costela bem gorda dá um churrasco maravilhoso. 



Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz


quinta-feira, 12 de março de 2015

Armário remodelado


Olá, queridos amigos. Retornamos a casa e junto veio a vontade de colocar tudo em ordem. Fazer arrumações que há muito tempo estavam na fila de espera. Neste momento, estou  na fase do desapego. Por muitos anos juntei coisas da família, se um ia se desfazer de algo lá estava eu juntando. A casa ficou entulhada. Mas para minha felicidade, aqui tem um grupo da sociedade espirita que tem um bazar, em que vendem objetos doados para comprar alimentos para famílias carentes. Levei tantas coisas, mas voltei com algumas coisas também, tem objetos belíssimos de decoração, não resisti. Comprei esse armário há muitos anos e estava precisando de uma reforma. Por enquanto, Alfredo fez prateleiras para ter mais lugar para armazenar as cacarias. Gosto muito de prateleiras elas são ótima para organizar. Agora só falta pintar de branco para dar uma clareada no quarto. 










Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz

segunda-feira, 9 de março de 2015

Nos despedindo de Solidão


Olá queridos amigos, nos despedimos de Solidão, mas com data marcada para voltar. E o tempo nos presenteou com os dias mais lindo para levarmos na bagagem belas recordações. O sol tingiu o céu de laranja e tudo ficou mais belo.

 Um pañuelo maragato se abriu no horizonte                                                                      Trazendo um novo reponte,                                                                                                           prá um fim-de-tarde bem lindo (musica)



Praia é sinônimo de fartura e de muita comida boa. Tudo tem mais sabor. Neste verão abusamos das calorias. E o pastel foi o top das receitas. Um dos meus pratos preferido é a paçoca de carne de carneiro. Esse alimento além de ser maravilhoso alimenta a alma com belas lembranças de uma rica infância.
Pastel  pizza.  
 Ingredientes
1/2 xícara queijo picado;
1/2 xícara de presunto picado ;
01 tomate picado;
1/2 xícara de azeitonas picadas;
1/2 xícara de tempero verde;
2 colheres de sopa de nata;
misture tudo e tempere com sal, orégano. Recheie a massa e frite em óleo quente.




Paçoca de carne

resto de churrasco de carneiro picado;
01 cebola picada;
03 colheres de óleo;
02 xícara de farinha de mandioca;

Coloque em panela bem quente, o oleo, carne e a cebola, deixe fritar bem. Depois coloque a farinha de mandioca. Continue mexendo até ficar dourada a farinha. É ótimo com um cafezinho preto. Até hoje aqui em nossa família esse prato é consumido no café da manhã.


Entre meus amores...

Meus Amores

Luiz Marenco

Composição: Jayme Caetano Braun / Luiz Marenco
Entre os amores que eu tenho,
O pingo, a china e o pago
E esta guitarra que trago
Das origens de onde venho
E o poncho, toldo cigano,
Que balanceia nas ancas
Do pingo gateado ruano
Malacara, patas brancas...
No rancho sobre a coxilha
Contemplando a várzea infinda
Tenho a xirua mais linda
Do que flor da maçanilha
Deixo que a lua se estenda
E o mundo fica pequeno
Enquanto bebo o sereno
Nos lábios da minha prenda
Nesta tropeada reiúna
A cãibra do freio é o norte
E apenas bendigo a sorte
Que me deu tanta fortuna
É a sina dos cruzadores
Andar caminhos sem fim
Sou dono dos meus amores
Só tu és dona de mim...
Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz

sexta-feira, 6 de março de 2015

Aniversario do Carlão


Aqui na praia da Solidão temos muitos amigos. Os do tempo de antigamente, quando não tinha luz elétrica e as casas eram feitas de junco e tinham assoalho de areia branquinha da praia, até os mais novos de agora. O Carlão, um italiano festeiro, veio para praia da Solidão e se encantou pelo nosso retiro. Ele faz aniversário em fevereiro e todos os anos, depois que construiu uma pousada aqui na praia da Solidão, ele comemora aqui com seus amigos e familiares essa data festiva. E sempre traz para animar sua festa, vários músicos regionalistas que encantam e animam com sua bela arte de cantar em versos nossa vida campeira. A paixão pela praia da Solidão foi tanta que se sentiu no paraíso e criou uma forma de servir aos visitantes e também um passa tempo para quando se aposentar. Esta é a Pousada PARAÍSO DO PESCADOR.  
















Viva o Carlão!



video



Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz

terça-feira, 3 de março de 2015

Coisas que o mar nos traz

Em nosso litoral acosta muitas coisas. Essa baleia provavelmente se machucou na hélice de alguma embarcação e perdeu parte da cauda. Acabou morrendo e as correntes marítimas trouxeram para nossa praia. Uma pena! Uma semana depois as mesmas ondas que a trouxeram, levaram para dentro do mar a baleia. E assim segue o mar nos trazendo de tudo para, dentro de sua filosofia, adornar as areias brancas e assim formar uma linda paisagem.













Pescador solitário
Essas garrafas todas tem destino, ir adornar lá em minha casa, e nas minhas festas. É a forma que encontrei para retirar um pouco do "lixo" da beira do mar.








Os moradores de Solidão ficam muito tristes com os pescadores destas embarcações.  Eles passam rede arrastam de malha fina e pegam tudo que é tipo de peixe, os que dão para comercializar, eles levam e o restante é jogado ao mar, acabam morrendo, pois se machucam nas redes. Daqui um tempo não haverá mais peixes na costa gaúcha. Esse barco está muito próximo à praia (aproximadamente 300 metros). Será que eles têm permissão para pescar tão próximo da costa? Ou estão desrespeitando as leis brasileiras? Se houvesse fiscalização isso não aconteceria.


Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz