sexta-feira, 6 de março de 2015

Aniversario do Carlão


Aqui na praia da Solidão temos muitos amigos. Os do tempo de antigamente, quando não tinha luz elétrica e as casas eram feitas de junco e tinham assoalho de areia branquinha da praia, até os mais novos de agora. O Carlão, um italiano festeiro, veio para praia da Solidão e se encantou pelo nosso retiro. Ele faz aniversário em fevereiro e todos os anos, depois que construiu uma pousada aqui na praia da Solidão, ele comemora aqui com seus amigos e familiares essa data festiva. E sempre traz para animar sua festa, vários músicos regionalistas que encantam e animam com sua bela arte de cantar em versos nossa vida campeira. A paixão pela praia da Solidão foi tanta que se sentiu no paraíso e criou uma forma de servir aos visitantes e também um passa tempo para quando se aposentar. Esta é a Pousada PARAÍSO DO PESCADOR.  
















Viva o Carlão!



video



Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz

terça-feira, 3 de março de 2015

Coisas que o mar nos traz

Em nosso litoral acosta muitas coisas. Essa baleia provavelmente se machucou na hélice de alguma embarcação e perdeu parte da cauda. Acabou morrendo e as correntes marítimas trouxeram para nossa praia. Uma pena! Uma semana depois as mesmas ondas que a trouxeram, levaram para dentro do mar a baleia. E assim segue o mar nos trazendo de tudo para, dentro de sua filosofia, adornar as areias brancas e assim formar uma linda paisagem.













Pescador solitário
Essas garrafas todas tem destino, ir adornar lá em minha casa, e nas minhas festas. É a forma que encontrei para retirar um pouco do "lixo" da beira do mar.








Os moradores de Solidão ficam muito tristes com os pescadores destas embarcações.  Eles passam rede arrastam de malha fina e pegam tudo que é tipo de peixe, os que dão para comercializar, eles levam e o restante é jogado ao mar, acabam morrendo, pois se machucam nas redes. Daqui um tempo não haverá mais peixes na costa gaúcha. Esse barco está muito próximo à praia (aproximadamente 300 metros). Será que eles têm permissão para pescar tão próximo da costa? Ou estão desrespeitando as leis brasileiras? Se houvesse fiscalização isso não aconteceria.


Até a próxima se Deus quiser...

 Anajá Schmitz