terça-feira, 17 de abril de 2018

Gamela


Quando Alfredo fez essa gamela, logo me lembrei do poema Madrugada (Apáricio Silva Rilo) que ele declamava para mim quando nos conhecemos. Esse poema retrata tal e qual era minha vida na Solidão. Meu pai acordava de madrugada. Fazia o fogo para esquentar a água do chimarrão. E o estalar da lenha queimando sempre me acordava. E essa música completa a descrição.
No poncho morno das cinzas,
dorme o fogo de galpão.
Ao escasso calor de seus carvões a cuscada, 
se entrevera com os peões,
partilhando uma sobra de pelego.

- Vai pro diabo excomungado!

Enquanto o guaipeca atarantado
se amoita pra outro lado fazendo volta e meia,
um peão, vai bombear se já clareia,
a barra vermelha da saia do céu.

- Tá na hora, pessoal!

Lava a cara, na gamela de água fria,
enchuga as mãos ao comprido da melena.
Põe erva no porongo, aviva o fogo,
cutuca forte um índio dorminhoco:

Te levanta, cara de louco!

E enquanto chia a cambona
coberta de picumã,
emponchada no brilho da alvorada,
boleia a perna, a dona Madrugada,
para abrir a cancela da manhã...










Até a próxima se Deus quiser...


 Anajá Schmitz

19 comentários:

  1. Um artista o seu Alfredo !!!!
    Bjks
    Anna

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde. Maravilhosa publicação. Adorei as imagens:))

    Hoje:- {Poetizando e Encantando} Se chegares, amar-me-ás eternamente.

    Bjos
    Votos de uma Óptima Terça-Feira.

    ResponderExcluir
  3. A gamela ficou linda e gostei do poema.
    Não conhecia.
    Lindas suas imagens.
    Um beijinho.
    Ailime

    ResponderExcluir
  4. Mt bonito estes post adorei as fotos assim como a musica mt bonita bjs

    ResponderExcluir
  5. A peça ficou linda!
    Gosto das fotos e do poema!!!bj

    ResponderExcluir
  6. LINDA MUSICA!!!
    LINDAS FOTOS!!!
    SALUDITOS

    ResponderExcluir
  7. Qué trabajo tan fino, muy bonito.

    ResponderExcluir
  8. Bom gosto sem fim.
    Gostar da nossa casa, criar o nosso lar, é um delicioso desafio.

    ResponderExcluir
  9. A gamela é linda. Este teu Alfredo é o maximo.Lindas imagens! Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Gamela sei o que é e achei linda essa que vc ganhou.
    Mas o texto da poesia não entendi um monte de palavras.

    ResponderExcluir
  11. Olá, Anajá, bom dia,

    O post diz muito dos costumes do Sul, e é sempre bom termos contato com a cultura dessa região. A gamela ficou uma lindeza, o seu marido é um verdadeiro artista!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Dearest Anajá,
    Love the wooden trough and especially with the beautiful pine cones.
    The poem fits it... fond memories.
    Hugs,
    Mariette

    ResponderExcluir
  13. Adoro as tuas postagens sobre usos e costumes da tua terra.

    Fiquei encantada com a tua sala tão acolhedora.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  14. Bom diiiiiiiiiia!!!! Te vi como seguidora do meu blog, prazer em conhecê-la. Gosta de participar de sorteios? Tem um lá no meu blog.
    http://anacristinap.blogspot.com.br/2018/04/sorteio-dia-das-maes.html

    Bom final de semana, bjo bjo! ♥

    ResponderExcluir
  15. Que ambientes tão bonitos que consegues criar. Tudo isto faz-nos aproximar às belezas dessa terra.
    E que o verso ajuda a ver, quanta elegância!
    Beijinhos, querida amiga.

    ResponderExcluir
  16. Olá Anajá, caríssima.
    Continuas nos agraciando com belas fotos e artes.
    Falar das belas artes de Dom Alfredo seria redundante, porém nunca é demais apreciar seus belos trabalhos. Linda esta gamela.
    Gostei muito, também, do poema de Aparício, sobre a gamela.
    Gamela tem mil e uma utilidades, pois após ter ordenhado algumas tambeiras, o xiru velho, usa para lavar os pés e após a patroa joga a água fora e ali mesmo amassa o pão, ao meio dia já está cheia de buena carne assada de algum borrego e antes de sair para o surungo, nela lava-se o "subaco" e de relancina já põe ali o leite para fazer queijo ou de molho deixa o feijão que será no outro dia cozido com o que sobrou das carnes assadas. Mas bah! Tudo junto incluído.
    Caríssima Anajá, que tenhas um belíssimo domingo, cheio de alegria e saúde.

    ResponderExcluir
  17. Oi Anajá, que linda a sua gamela (amo coisas campeiras) Amei a "sala" também...
    Quando eu vim morar no RS (Ajuricaba), pensei que ouviria muitas declamações de poemas, mas sinceramente é algo que vejo e ouço bem pouco. Claro, pobre maridão que tem de "traduzir" tudo pra mim, pois ainda não entendo o gauchês, mas amo.
    Amei ter conhecido teu blog e já vou adicionar na minha lista de blogs amados... já estou seguindo. Beijokas mil, lindona.

    ResponderExcluir
  18. Esse Alfredo, linda a gamela...gostei da poesia e não conhecia.

    Bj Anajá

    ResponderExcluir
  19. Linda gamela e lindo poema.
    Bom domingo
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderExcluir

Obrigada pela carinhosa visita. Tenha um ótimo dia.