sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Nos preparando para o frio...


Este é o nosso lenhador, meu filho Jean. Com as chuvas e ventos caiu uma árvore na estrada, impedindo nossa passagem. Eles cortaram toras para o fogo. Agora temos lenha para uns dois meses. Alfredo enche a lareira de lenha. Quase tapa a boca. Acho estranho essa mania mas como ele é um rapaz da cidade não conhece o sistema do homem do campo. Poupar até lenha. Essas árvores nascem em qualquer lugar e seu crescimento é muito rápido e suas raízes não tem profundidade por isso elas caem facilmente.








Compartilho com vocês esta linda poesia. MADRUGADA de Aparício Silva Rillo, este foi um grande poeta gaúcho. Nascido na capital Porto Alegre, escolheu uma cidade do interior, São Borja, para viver e colocar em prática suas narrativas, usando o ficcional em suas obras, fatores de ordem histórico-sociais e econômicos, seus temas também eram alicerçados nesses fatores. Um poeta dono de uma inteligência e sensibilidade privilegiada que norteou suas obras e nos encanta até os dias de hoje...

 
No poncho morno das cinzas
dorme o fogo de galpão.
Ao escasso calor de seus carvões
a cuscada se entrevera com os peões
partilhando uma sobra de pelego.

- Vai pro diabo excomungado!

Enquanto o guaipeca,
atarantado,
se amoita pra outro lado
fazendo volta e meia,
um peão vai bombear se já clareia
a barra vermelha
da saia do céu.

- Tá na hora, pessoal!

Lava a cara na gamela de água fria,
seca as mãos ao comprido da melena.
Põe erva no porongo, aviva o fogo,
cutuca forte um índio dorminhoco:

Levanta, cara de louco!

E enquanto chia a cambona
coberta de picumã,
emponchada no brilho da alvorada,
boleia a perna dona Madrugada
para abrir a cancela da manhã...






Musica Milonga da Coragem interpretado por João de Almeida Neto. Uma canção que emociona os que nasceram no campo.


Levando o vento no peito pelo pampa onde andei
Alargando os horizontes que eu mesmo redesenhei
E os mapas que risquei a lança e ponta de adaga
Estão nas folhas dos livros que a memória não apaga
(Um dia deixei o campo porque o campo me deixou
No pasto perdi o rastro que o vento norte apagou
Morador dos corredores deixei prá trás horizontes
Herdei a fome das vilas e a quincha nua das fontes)
Um dia volto à querência para cortar sesmarias
E o novo canto da terra cantarei nas pulperias
Desgarrados, bóia-frias encontrarão nova trilha
E os direitos sonegados virão a sobre partilha
Um dia deixei o campo porque o campo me deixou
Tenha um ótimo fim de semama ...
 Anajá Schmitz

36 comentários:

  1. Que delícia Anajá...deu para sentir o calorzinho do fogo...aqui em casa é a mesma coisa! enchem a lareira de lenha, fazem um fogo enorme e não adianta dizer nada...eu e os meus tres homens...bom fim de semana...bjs

    ResponderExcluir
  2. Madeira até caida na estrada é linda,agora vai e serve para esquentar,é um carinho de Deus.....fogo quentinho,fogão aceso...bolinho de chuva.....pensamento voa.....

    ResponderExcluir
  3. Quando cai uma árvore, dá pena em vc?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      depende da árvore se for nativa da região sim, mas hoje em dia tem muitas árvores que são pragas, elas acabam matando árvores nativas. Um exemplo é o pinus, aonde ele nasce acaba com toda vegetação regional.
      Bjos

      Excluir
  4. Só de ver essa lareira até me dá calor, mas quem me dera ter uma para os dias de inverno, sabia-me pela vida!!!
    Beijinho*

    ResponderExcluir
  5. Oi Anajá!

    Muito boa esta vidinha no campo, né? " Parece" que o tempo pára no interior... que os momentos são mais curtidos... que até o fogo na lareira é mais prazeroso...

    Abraços, Iris

    ResponderExcluir
  6. E como se vive bem no campo.

    Adorei.

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Ai,ai...tô com uma invejinha branca desta história de vida no campo,lenha e etc...tô com vontade de ir aí e tomar um chocolate quebte perto deste foguinho aí!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      será bem vinda.
      Bjos e tenha uma ótima semana.

      Excluir
  8. Amiga, que vida incrível esta do campo!E que imagens belíssimas.Amei o poema e a música.bjs.

    ResponderExcluir
  9. Olá Anajá, obrigada pela visita viu, que delícia ter um foguinho para se aquecer...
    Adorei a poesia!!
    Beijão e bom final de semana pra você também!!!!
    Cris...

    ResponderExcluir
  10. OLá Anajá tudo bem?
    vim agradecer sua visita e lhe desejar boas vindas. Gostei demais do seu cantinho, é aconchegante. Amo o campo tb e aí deve ser uma delícia de morar. Com certeza vou te seguir. Desejo um ótimo fim de semana a vc e sua família. bjs e um grande abraço...

    ResponderExcluir
  11. Oi Anajá, que linda poesia...bem típica do povo gaúcho.
    Você já tem filhos adultos! Parece uma menina na foto do seu perfil... Deus conserve!
    Bjs e ótimo final de semana!
    P.S. Sabe que agora é que reparei que tem um gatinho branco na foto do fundo, idêntico à minha Bianca?
    Ela é o meu xodó.

    ResponderExcluir
  12. Olá Anajá:

    Embora nunca tenha comentado, sou uma visitante assídua do seu maravilhoso Blogue. Delicio-me a ler tudo o que de interessante nos conta e nos mostra. Adoro a vossa casa, ela é linda! Aprecio imenso a vossa vivência no seio familiar, assim como as vossas relações de Amizade. Felicito-a por
    tudo o que de Bom nos transmite. Muito Obrigada .
    Mais uma postagem que muito apreciei ! A vida aí no campo deve ser uma maravilha, tudo isso irradia paz, tranquilidade.
    Sou Portuguesa, tenho 62 anos, casada, mãe dum rapaz de 36 e avó duma menina de 3 aninhos.
    Era funcionária pública e estou aposentada há cerca de três anos; no entanto tenho o meu tempo muito ocupado, visto ficar com a minha nétinha quase toda a semana.

    Desejo-vos um óptimo fim de semana e mais uma vez agradeço tudo o que de Bom nos oferece.

    Um Beijinho

    Maria Rita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria Rita,
      Obrigada pela visita, seu carinho nos faz muito feliz. Esse é meu sonho em me aposentar e ficar e casa cuidando do jardim e fazendo pratos deliciosos. Tenho amigas que se aposentaram e estão com a vida muito mais agitada e preenchida de quando trabalhavam. Que bom cuidar da neta, meus filhos já estão velhos e não me dão um neto. Também quero cuidar e mimar muito.
      Bjos e tenha um dia iluminado..

      Excluir
  13. Ese calor de hogar debe sentirse muy bien.

    ResponderExcluir
  14. Oiê!

    Bah é muita lenha...

    Como queria ter donde acender uma fogueira, ou uma lareira :(

    Aqui não da pra fazer nada... adoro vida no campo!!!

    Se eu pudesse viveria no campo!

    Fica com Deus!

    Beijokasssss...

    http://hanan-mustafa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Querida Anajá,
    Que bom poder aproveitar toda a madeira!Amei a poesia!Sempre
    resgatando as origens.Que tenha um ótimo final de semana
    com toda a família.
    Beijo grande

    ResponderExcluir
  16. Hummmm que foguinho gostoso esse hein...
    Aquece não só o corpo mas a alma também...
    Ótimo fim de semana pra você querida...
    Beijinho

    Francine

    ResponderExcluir
  17. Liebe Anaja, eine fein Poesie begleitet Deine Fotoimpressionen und ein wunderschönes, berührendes Lied erfreut mein Herz. Danke...

    Umarmung und Grüsse aus der Schweiz

    Hans-Peter

    ResponderExcluir
  18. É necessário aproveitar toda lenha possível! Fico imaginando o sabor da comida feita com ela, abraços

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde.
    Sou madeirense e adoro visitar o seu blog.
    Admiro a "variedade" dos assuntos postados.
    Muitas felicidades!

    ResponderExcluir
  20. Via ser muito aproveitado esta madeira , neste friozinho, que gostoso.

    bjs

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Parabéns pelo filhão! Lindo! Quanto à lareira, a lenha... quanto mais leio seu blog mais me dá vontade de conhecer o Sul. Gosto de lugares frios e bucólicos. Beijos, Paula

    ResponderExcluir
  22. oi Anajá que delicia esse calor da lareira acho lindo bjs Rosinha

    ResponderExcluir
  23. Vi hugger också ved till vintern.
    Så fint och varmt med en eldstad.
    Bästa hälsningar
    Mariana

    ResponderExcluir
  24. Bom dia! Como é gostoso passar por aqui e ver coisas do dia a dia, natureza, amor em casa e aconchego! Adorei os versos e milonga!
    Beijos e te desejo uma ótima semana!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  25. Tipicamente gaúcho, Anajá! E tão gostoso de ler! :) Boa semana.

    ResponderExcluir
  26. Oii

    friozinho com fogo assim é um delíciaaaaaaaa
    eu adoro !!!!
    Aqui fazmos fogueira em julho que é o mes mais frio...

    bjinho
    www.enquanto-isso.com

    ResponderExcluir
  27. Nossssssssa que lenhador mais gato..... Parabéns, Flor, você caprichou kkkk. Que delícia é esse costume do campo, a gente que mora na cidade com certeza temos dificuldades de entender. Obrigada por compartilhar conosco as sabedorias do sul em versos e milongas... Desejo uma semana abençoada por Deus para ti e para os seus... Com carinho da fã.. Rê.

    ResponderExcluir
  28. ...foi-se uma árvore, mas virá o aconchego quando o frio começar a apertar.
    Algo que me fascina, o baile das chamas...
    Um fraternal abraço

    ResponderExcluir
  29. Muito bom através das fotos, da poesia e música nos aproximar mais
    dessa vida no campo!! Como é gostoso isso!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  30. Oi Anajá,
    Meu PC está maluquinho e não me deixa comentar no post novo, então vai aqui mesmo.
    Aquele pão parece delicioso.
    Qdo eu faço o que gosto, o tempo voa!!!
    Aproveite a semana!
    Bjs

    GOSTO DISTO!

    ResponderExcluir
  31. E que venha o frio né Inajá! Época boa para fogueiras, vinho quente, lareira, sopas, gente elegante pela rua... Oh tempo bãoooo!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  32. Olá , sou nova por aqui mais estou adorando passear pelo seu blog , estou aqui com chimarrão e na beira do fogão a lenha porque o frio chegou por aqui ,moro em Caxias do sul .Vou continuar meu passeio por aqui ,até mais .bjs
    Marta

    ResponderExcluir

Obrigada pela carinhosa visita. Tenha um ótimo dia.