quinta-feira, 31 de julho de 2014

Uma pausa para a saudade....


Hoje vamos viajar na poesia e na decoração de lindos blogs que visitei. Quando se fala em tapera me vem a memória a casa da Dona Chinoca e do falecido Dudu. Essa morada era em Solidão-RS, eramos vizinhos. Para ir para praia do Farol da Solidão, tínhamos que passar em frente a casa dela. Ainda está lá a espera de quem passa, uma baita figueira.  Sempre parávamos a sombra daquela frondosa árvore para comer figo. Me dava uma tristeza infinita mirar aquele abandono. Como tantos, eles se foram para cidade deixando para traz sua vida no campo, levando na bagagem somente as lembranças. Lá ficou solenemente a história da família que ali viveu, e o restos, abandonados campo afora. 

Poesia Tapera de Chico Ribeiro.

Sem porta e sem janelas, da cumeeira,
Tirou-lhe o vento há muito o santa-fé;
É o esqueleto - o que sobrou pra história
Do velho rancho - é o esqueleto em pé!

A dois passos - a clássica figueira,
Com seus poemas de sons, pela ramada;
Lembrando alguém, que vive pela glória
De recordar saudades e mais nada...

E o resto! O resto... é morto, não existe,
O próprio chão da grama se ressente,
Nem um palanque se descobre mais...
Apenas a figueira inda resiste:
- Há de ficar... pra transmitir à gente,
Do extinto rancho, amigo, os funerais!...

27 comentários:

  1. Emocionante e linda essa postagem, remexeu com lembranças minhas, de pessoas queridas que moravam no campo e tiveram que mudar para a cidade, senti tristeza na época, tb, porque parecia que levavam juntos meus momentos de banho de sanga, de andar pelas marachas e tantas outras coisas boas que embalaram minha infância. As imagens são de sonho, belíssimas. bjos querida Anajá.

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito de casas assim, chales e detalhes todos em madeira...gosto do jeito simples e rustico que a madeira proporciona. Lindas as fotos!
    Beijos Anajá!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  3. Lindo Anajá, você é de uma sensibilidade incrível! Me ancanto sempre que venho aqui visitar você! Beijocas flor!

    Rê Furlan

    ResponderExcluir
  4. Olá Anajá um dia desses andando pelas redondezas percebi então,
    muitas casas relativamente bonitas abandonadas ou a venda.
    Obtive a informação que é muito comum em lugares de sitios os donos vão ficando
    muito velhos e os filhos não se interessam pelo lugar então essas casas ficam assim...
    a mercê de ladrões, invasões ou apenas o tempo a passar por elas.
    É triste, mas mesmo assim no abandono algumas conservam a sua beleza até virarem realmente "taperas".
    Belo post, lindas imagens e poesia.

    ResponderExcluir
  5. Quanta beleza e sensibilidade e abrir espaço à saudade boa é legal! bjs praianos,chica

    ResponderExcluir
  6. Sabe que até dois anos atrás meus pais moravam no sítio...por conta da violência, já que foram assaltados por lá, vieram morar na cidade deixando para trás as lembranças de uma vida vivida ali naquele lugar!
    Quantas memórias ficam no passado, quantas estórias ficam nas lembranças!
    Mas o importante é viver o hoje com sabedoria adquirida nas vivências passadas e com muita satisfação em estarmos todos juntos e com muita saúde!!!
    Beijos Anajá, até mais!

    ResponderExcluir
  7. Olá

    Adoro estas casinhas de madeira,
    pena muitas como diz estarem abandonadas.
    tenha um feliz dia
    bjkas

    ResponderExcluir
  8. Una casa que desprende calidez en cada estancia.
    Feliz semana y besos de las dos

    ResponderExcluir
  9. Que pena amiga , deixar um lugar tranquilo desses ...e assim se escreve mais uma história!
    As imagens estão lindas!

    bom fim de semana ...to indo pro mato! bjss

    ResponderExcluir
  10. diria que este desejo de morar assim já perdi...
    são realmente lindas mais como sou muitoooooooooooo chata
    não sei se conseguiria ter varios empregados.
    vou chata sou dificil amiga!
    lindas demais...
    o desejo já passou.rsrsrsr
    beijocas,sejamos gentil.
    saudadeeeeeeeeeeeeeeeee

    ResponderExcluir
  11. que lembrança gostosa, retirar o figo do pé fresquinho.
    as imagens são inspiradoras e aconchegantes.
    Linda quinta feira!

    ResponderExcluir
  12. Anajá, gostei de todas, boa seleção, beijos amiga

    ResponderExcluir
  13. Isto me lembra muito a casa da minha tia, também lá do sul...que saudade! muito aconchego, calor e tranquilidade por lá! amei...beijos

    ResponderExcluir
  14. Adoro casas assim de campo, tipo a sua!

    ResponderExcluir
  15. Adoro histórias e fico emocionada quando ouço a palavra tapera lembra história lembra passado beijos Eliane Lima.

    ResponderExcluir
  16. Anajá querida,
    Uma bela recordação nos traz uma grande saudade!Amei todas as postagens!Vc tem
    muito bom gosto!
    Grande beijo

    ResponderExcluir
  17. Essa casa é deslumbrante, Anajá!
    BFDS

    ResponderExcluir
  18. Entre as coisas que fazem doer meu coração,pensar em casas deixadas para traz é uma das que mais provocam dor. Fico achando que a casa (que para mim tem alma) fica com saudades da alegria que ela abrigou.

    ResponderExcluir
  19. Anajá, no teu blog está faltando um atalho para o Pinterest, para podermos guardar as lindas imagens que você publica. Bjo

    ResponderExcluir
  20. que lindas imagens! amei a postagem. Beijos querida, bom final de semana.

    ResponderExcluir
  21. Saudade es una palabra en portugués tan sonora, tan bonita como triste. La magia de las palabras.

    ResponderExcluir
  22. Bonita mensagem amiga .....essa palavra" saudade" vive comigo faz anossssssssssss.beijocas.

    ResponderExcluir
  23. Bela poesia e belas fotos. Saudades, nostalgia...fazem parte da vida, são sentimentos que nos preencham nossa alma. bjossss

    ResponderExcluir
  24. Cuan cierta la POESÍA!!! todo tiene su tiempo de caducidad, nada es duradero, incluídos nosotr@s, en fin por el momento a VIVIR, y a comer los higos que vaya produciendo la HIGUERA...
    Buen fin de semana amiga :)))
    Conxita

    ResponderExcluir
  25. Sua menina, mais, bela que a tapera é a poesia do Chico, repare... kkkk

    Realmente que belo poema!

    O Sibarita

    ResponderExcluir
  26. Lindas imagens para acompanhar o poema!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  27. Querida Anajá
    Belo poema!
    Belíssimas fotos!
    O que se passa aí,também está a acontecer no nosso Portugal,infelizmente! Há muito local abandonado e por cultivar - nós dizemos:a monte...
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderExcluir

Obrigada pela carinhosa visita. Tenha um ótimo dia.